terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Um post à luz de velas


Estava assistindo um vídeo no Youtube, enviado por e-mail pelo marido. Ouvindo o som do filme na TV que nem estava interessante. Melhor estava o som da chuva, que havia caído meia hora antes. "Correndo", como sempre, ia terminar de assistir o tal vídeo, voltaria à clicar em meus "sites de PTC", enquanto terminaria de definir mentalmente meu novo post para o BF. Pelo menos o título já estava pronto: "Por um Natal menos hipócrita". Assistindo, ouvindo, clicando, pensando...
De repente o primeiro estouro.
Escuro.
Mais dois se seguiram com "piscadas" de energia.
Escuro, silêncio.
Lógico, primeira reação: logo agora? Como se achássemos que alguma hora fosse boa para isso.
Procuro o isqueiro, acho primeiro o celular, com ele encontro o isqueiro. Acendo velas.
3:50hs. Sem energia elétrica. Então tá, né?
Ligo para o marido que está no trabalho e comento o ocorrido. Conversa vai e vem, falo da falta de sono e do tanto de coisas que ainda tinha por terminar na internet esta noite. Entre algumas idéias absurdas, típicas do bom humor dele, uma mais sã surgiu: "Escreva o post. Depois é só digitar e publicar". Boa idéia.
Durante a conversa eu disse, brincando: "quero um notebook e um celular 3G". Absurdo, rs.
Mais alguns minutos, desligo. Ligo para a companhia de energia, já sabem do problema, estão arrumando, previsão de duas horas.
Percebo o enorme silêncio. Nem o vento para agitar meus "mensageiros dos ventos". Adoro o som que fazem, mas agora, nada!
Abri a porta, fui até o quintal. Uma noite agradável, já não faz calor como antes da chuva. A claridade dos bairros distantes refletem nas nuvens.
Inevitável lembrar da infância, em ruas ainda não iluminadas e de dezenas de coisas ótimas, do tempo em que não existiam tantas luzes, tantos carros, tanta tecnologia.
Inexplicavelmente, senti um prazer enorme em não ter como me conectar. Achei um tempo, ainda que "na marra" para relembrar e apreciar a vida.
Cheguei à uma conclusão. Tão cedo não quero, nem um notebook, nem um celular 3G. Quero sim, mais horas para "escutar o silêncio", sem barulhos de HD e para "ver a claridade nas nuvens" sem o brilho do monitor.
Entrei em casa e vim escrever este post à luz de velas.
E que prazer escrever novamente de forma simples. Papel e caneta.



Ajude Santa Catarina:

A COMDEC – Coordenadoria Municipal de Defesa Civil do Município de São Paulo, está recebendo doações 24 horas por dia no seguinte endereço:

Avenida Afonso Pena, 130 – Bom Retiro – (11) 3313.5726


3 comentários

gibanet disse...

Este post ficou tão bom que eu vou pedir a consecionária que corte o fornecimento de energia elétrica por um mês.
Vai ser com certeza o mês mais inspirado da sua carreira de blogueira.

joamot30 disse...

o computador veio para ficar,porem quando acaba a ernegia nos blogueiros viciados em informação ficamos chupando dedo

Alanna disse...

é bem verdade que muitas vezes nós esquecemos de apreciar as coisas que estão ao nosso redor o tempo todo.
ficamos horas na frente do pc ou da tv e reclamamos que não temos tempo pra nada, sendo que as vezes basta desligarem as luzes para que possamos enxergar melhor.
seu texto é muito inspirador, adorei.
paz.

Postar um comentário