domingo, 15 de março de 2009

Síndrome de pobreza




A síndrome da pobreza é um estado de espírito que faz com que a pessoa tenha hábitos que nada tem de nobre, culto ou inteligente. Este estado pode fazer parte de seu dia a dia sem que você perceba.
Veja a lista abaixo e confira se você é vitima desta epidemia:


Comprar pipoca ou salgadinho para comer no carro, cinema ou ônibus.

Acreditar que o que acontece no BBB é verdade.

Ir a pé pra casa para garantir uma hora a mais de lan house com a grana do ônibus.

Discutir sobre novela e futebol.

Usar pregador de roupa para fechar sacos de arroz, biscoitos, açúcar e queijo ralado.

Prender a lista de supermercado na geladeira com ímã de pizzaria

Tomar cerveja em copo de requeijão.

Fazer bagunça em sala de aula para chamar atenção. Atender celular na aula também se enquadra aqui.

Esquentar a ponta da "BIC" para ver se ela volta a funcionar.

Andar pendurado na porta do ônibus.

Lamber a tampa metálica do Iogurte.

Colocar "BOMBRIL" na antena da TV.

Colocar biquíni e tomar sol na laje ou atrás da casa.

Correr atrás do guarda-sol na praia gritando "pega, pega!".



Entrar na loja perguntando os preços para o vendedor e dizer que: "Só estou dando uma olhadinha...".

Fazer jogo de futebol com times "camisa" e "sem camisa".

Ficar balançando lâmpada queimada para ver se ela volta a funcionar.

Aproveitar garrafa plástica de refrigerante e colocar água na geladeira.

Secar tênis e roupa molhada atrás da geladeira.

Receber visita e mostrar a casa toda.

Comprar carro novo e não tirar o plástico dos bancos só pra dizer que é novo.

Amarrar cachorro com fio de luz.

Lamber ponta de borracha para apagar o erro.

Correr a casa inteira com chinelo na mão atrás da barata.

Jogar algodão na árvore de natal para dar efeito de neve.

Passar cuspe no cotovelo ressecado para amaciar.

Guardar sobras de sabonete para depois fazer uma bola só.

Convidar os amigos para o churrasco no seu aniversário e mandar cada um trazer uma coisa.

Consertar tira de sandália havaiana com grampeador ou grampo de cabelo.

Enfeitar a estante da sala com lembrancinhas de casamento.

Passar fio dental e depois cheirar pra ver se o dente está podre.

Tirar cera do ouvido com a chave do carro ou com a tampa da caneta.

Fazer barra da calça com fita crepe ou fita dupla face.

Subir na laje pra mexer na antena e ficar gritando lá de cima: "Melhorou?".

Entrar na loja de R$ 1,99 e querer achar um presente legal.

Ir ao restaurante, antes de pedir a comida perguntar se aceita Ticket.

Quando não tem soda limonada ou fanta colocar suco de limão ou suco de laranja em água gasosa.

Colocar água na tinta para render mais ( sintoma comum nos condomínios )

Usar calculadora no supermercado.

Fumar resto de cigarro.

Só tomar banho de Sábado.

Enrolar controle remoto com saco plástico e preso com durex.

Pagar conta de supermercado com 5 cheques predatados.

Tirar sujeira do nariz e colocar de baixo da mesa e raspar com a unha quando estiver ressecado.

Tirar sujeira da unha com ponta de lapiseira ou tampa de caneta.

Colocar pilha no freezer para ver se recarrega.

Trocar o lado da pilha para ver se funciona.

Fazer chocalho com arroz com latas de alumínio.

Reaproveitar copos descartáveis.

Limpar a boca suja de comida na toalha da mesa.

Soltar bafo ou cuspir na lente do óculos para limpá-la.

Escrever carta em papel-toalha.

Reaproveitar saco de lixo

Guarda bijuterias em latas de alumínio

Tirar o escapamento do carro para fazer barulho

Chamar coalhada de Iogurte

Jogar futebol com latinha de alumínio amassada.

Jogar lixo em saco de supermercado.



Limpar chão com roupas velhas.

Derramar perfume no vaso sanitário para substituir o desinfetante.

Levar marmita para a escola na mochila.

Voltar fita de vídeo ou áudio no dedo para economizar luz.

Usar foto de raio "X" ou filme de câmera para ver o eclipse do sol.

Abrir o tubo de pasta dentária e raspar o "restinho" com a escova.

Guardar colheres e pratinhos descartáveis usados naquela festinha, para serem usadas nos anos seguintes.

Pular 2 horas de carnaval com o mesmo copo de uísque na mão e não deixar ninguém experimentar para não perceberem que é guaraná.

Cheirar inseticida para ficar tonto, dizer que é lança perfume.

Aparece na TV chorando de saudades porque o carnaval acabou.

Deixar a namorada em casa , para freqüentar ensaio de escola de samba.

Usar guarda-chuvas como protetor solar.

Usar aqueles guardas-sol escrito " Cerveja SKOL essa desse redonda ".

Sair do mar de chinelo para não queimar o pé na areia quente.

Fazer garimpo na beira do mar, para se acha: aliança, anel etc.

Colocar palito de dente na válvula de segurança da panela de pressão para evitar vazamento.

Colocar casca de ovo no Xaxim da Samambaia para servi de adubo e espantar formigas.

Pegar pó de café usado colocar no sol para secar e usar de novo. Coador também.

Assinar TV a cabo para assistir: Nelson Rubens, Luciana Ximenes , Malafaia.

Escovar os dentes no tanque de lavar roupa.

Ter um fusca, e colocar a chave num chaveiro da Ferrari.

Colocar o nome no filho de Washigton.



Ir em festa de criança e na hora de ir embora levar salgadinho escondido na bolsa.

Guardar o resta da pizza para comer no café da manhã.

Passar várias vezes para pegar amostra grátis no supermercado.

Andar com o janela do carro fechada no dia mais quente do ano, para pensarem que o carro tem ar-condicionado.

Pendurar bonequinho no retrovisor do carro.

Fazer compras de natal no Camelô.

Pendurar cartão de natal na árvore de natal.

Esquentar o pão feito na semana passada no microondas e falar pras visitas: "Acabei de comprar, ta quentinho".

Não deixar o moleque pegar o brigadeirinho no meio da festa e falar: "Não tá na hora".

Ouvir MP3 no ônibus, com fone de ouvido e cantando (achando que não estão te ouvindo).

Usar CTRL+C CTRL +V para fazer as postagens de seu blog.

Deitar o botijão de gás para ver se dura mais um pouco.

Comprar espelho de banheiro com borda laranja.

Negar sintomas de pobreza.

Vai negar???


Contribuição do Giba do site Gibanet

5 comentários

Antonio Regly disse...

Amiga,
Acho que o autor da lista tem alguns problemas sérios... rs: complexo de ser pobre, preconceito do que seja ser pobre, preconceito do que seja ser uma pessoa rica.
Se ter síndrome de pobreza é ter, pelo menos, uma dessas coisas, logo, está infectado com o vírus dela, então faço parte lista.
Assumo, com felicidade de criança, que dou uma lambidinha na tampa laminada do iorgurte, especialmente se só tem um potinho na geladeira e minha vontade é que tivesse dois. O finalzinho das coisas, principalmente no que tange ao paladar, parece ser mais gostoso.
Outra coisa é usar pregador de roupas para manter fechado o saco de arroz. Se não acho uma fita própria (durex, fita plástica etc.) ou ela acabou, o pregador me é o recurso disponível, é ele que eu uso. Gosto de embalagens de 1 quilo de arroz, mas há supermercados que insistem em disponibilizar apenas pacotes de cinco quilos... fazer o que?
Para finalizar, acho que melhorei um pouco da epidemia. Os imãs de geladeira (fornecidos pelos entregadores de farmácia, gás, e pizza...), foram abolidos. Agora uso post-it. É menos pobre.
Já comentei aqui no diHitt, e vi outro parecido, acerca daquelas pessoas que têm o péssimo hábito de tirar cacas do nariz e colocar sob bancos, cadeiras, mesas etc. Já vi (com os próprios olhos) a cadeira de alguém que ocupava uma função semelhante ao do presidente de uma grande empresa, cheinha dessas coisas. Teoricamente o sujeito não era pobre, pois tinha dinheiro, o salário é um dos mais altos haja vista o cargo que exercia. No entanto, lá estavam elas. Esse fato, a meu ver, não se aplica estritamente ao pobre, mas ao porco. Este, por sua vez, está presente em qualquer um dos lados.
E viva a síndrome da pobreza! E viva os pobres!
E.T.: faltou estar na lista - "ler os ítens desta lista e deixar de comentar, por medo de assumir que tem a síndrome". huahuahuahua
Abraço.
Regly

Nandaschme disse...

Olá! Regly!
Cara, eu e o Giba rimos demais com seu comentário!
Muito bom mesmo.
Verdade. É praticamente impossível alguém não ter ao menos uma meia dúzia de itens desta lista em seus hábitos.
Adorei a do post-it (que chique!!)
Quanto ao que citou dos porcos, concordo plenamente.
Muito obrigada pelo excelente e divertidíssimo comentário!
Abraço!

Anônimo disse...

Deitar o botijão de gás para ver se dura mais um pouco é muito clássico! Todo munfo já fez!!! =)

lugirão disse...

Chiiii....não tem jeito,não escapei da Sindrome...sou pobre, será que tem alguém que escape?

Eu lembrei de uma vizinha que lavava os canudos de plástico para serem reaproveitados, Acredita nisso?

Nem água tomava em sua casa. rs.

Dei risadas.

Anônimo disse...

rs
legal esse negócio
qr mas uma...
usar a roupa um monte de vezes pra não ressecar as mãos nem gastar água

Postar um comentário